Buscar
  • Thais Shimabukuro

A principal coisa que você precisa saber para emagrecer

Gravei um áudio de auto hipnose para te ajudar no processo de emagrecimento.


Mas antes quero fazer algumas considerações.


Auto hipnose é eficiente, pode te ajudar a mudar percepções, trabalhar as suas emoções, mas não acredite que só ouvir vai fazer com que você emagreça sem fazer nenhum esforço.

O que funciona é um estilo de vida saudável a longo prazo, ou seja ter uma rotina que faça sentido, com bons hábitos, com uma quantidade adequada de horas de sono, atividades físicas que sejam regulares e prazerosas para você, comer com mais consciência e claro cuidar da sua saúde mental.

O primeiro passo para emagrecer é saber por que você quer emagrecer.

Ter claro o porquê é fundamental.


Vou te revelar a pergunta que me ajudou a emagrecer:


Se você continuar com esse comportamento, o que de pior pode acontecer com as pessoas que você mais ama?”.


Como mãe, eu sei que os filhos são reflexos dos pais, e a pior coisa que poderia acontecer, seria meu filho repetir o meu padrão de comportamento (compulsão por doces), ter diabete e amputar uma parte do corpo.

Nem precisa falar, que como mãe, pensar nisso, foi uma tremenda motivação.

Você também pode se perguntar: "Qual a melhor coisa que pode acontecer se eu mudar o meu comportamento?"


Claro que eu conseguia imaginar várias coisas boas, mas depois de tantos fracassos de dietas, mais de uma década tentando voltar ao peso “ideal”, eu não acreditava verdadeiramente que iria conseguir.


Focar na pior coisa (na dor) era mais fácil e muito mais forte emocionalmente do que pensar nos benefícios.

Quando falamos de compulsão alimentar, um áudio de auto hipnose pode ajudar, mas não é auto suficiente, ou seja, é primordial procurar especialistas competentes.


  • Como um médico (para verificar se sua saúde e seus exames estão bons).

  • Uma nutricionista.

Com tantas informações disponíveis, eu achava que não precisava de uma nutricionista. Afinal já tinha ido em algumas e não tinha "funcionado". Isso porque eu sempre fiz dietas restritivas, que "funcionavam" a curto prazo. Eu emagrecia, voltava a comer tudo que eu tinha me proibido de comer, e engordava o dobro. Não saia desse círculo vicioso. Assim como uma dívida que vai crescendo e virando uma bola de neve, eu continuava procurando pela nova dieta milagrosa, cada vez emagrecendo menos e engordando mais.


Como uma pessoa faz dietas restritivas, constata que não funciona e continua insistindo? Não faz nenhum sentido (hoje em dia).

Eu também seguia a dica das musas fitness, da amiga que emagreceu com uma dieta nova.

E demorei para perceber que isso também não funciona.

Imagine que você ame comer pão francês na chapa com manteiga e ouve uma amiga falando que emagreceu trocando o pão pela tapioca. E você elimina o pão que você tanto gosta, compra a tapioca, não gosta do sabor, mas insisti pensando que o sacrifício valerá a pena e em 3 dias eliminará os quilinhos desejados.

E aquele momento do café da manhã, se torna um momento de tortura. Porque você percebe que ao se pesar na balança, não emagreceu uma grama, e resolve voltar a comer o pão francês, mas por conta da restrição, agora come de forma descontrolada. Restrição gera compulsão.


Entenda que cada pessoa é diferente. Que não tem nada de errado admirar e querer ter o corpo de alguém, mas respeite o seu biotipo e genética. Agradeça e ame o seu corpo. Cuide do seu corpo não porque você o odeia, mas porque você o ama.

Ficar se comparando não é saudável, te deixa com a autoestima lá embaixo, e ainda piora a sua relação com a comida. Então elimine o que te fragiliza. Pare de se comparar e comece a se respeitar.

  • Procure também um personal trainer ou uma atividade física que te dê prazer. Eu só queria emagrecer e fazia o máximo de aeróbico que conseguia por dia, queria correr 15kms todo dia, parecia a “louca da academia”. E achava que estava arrasando. Quando fui a nutricionista ver a minha bioimpedância, percebi que estava fazendo tudo errado, estava apenas perdendo massa magra, ao invés de ganhar.

Eu também achava que ao fazer musculação, engordava, então fugia da musculação como o diabo foge da cruz.


  • Faça terapia e cuide da sua mente. Quantas pessoas fazem uma cirurgia bariátrica e voltam a engordar. Simplesmente porque apenas fizeram a cirurgia, mas não trataram a origem do que as fazem descontar as suas emoções na comida.

Não tenha vergonha em pedir e aceitar ajuda, pois excelentes profissionais vão te orientar, facilitar esse processo e te ajudar a tratar isso de forma mais profunda e completa.


Não faça como eu. Não tenha vergonha em pedir ajuda e não deixe para amanhã para começar a cuidar de você e do que realmente importa.

Na compulsão alimentar, temos os gatilhos internos e externos. Os externos podem ser desencadeados por uma briga, perda de algo ou de alguém. E os internos, podem ser desencadeados por memórias, pensamentos e emoções. O indivíduo para lidar com esse contexto usa da alimentação de forma inapropriada. Come até se sentir totalmente cheio e isso pode estar atrelado a ansiedade, depressão. Mesmo desde a adolescência indo em palestras de psicólogas, estudando sobre a mente, eu negava a depressão. Eu cresci morando com uma avó que tinha depressão e ouvindo que aquilo era frescura e para chamar a atenção.


Perdi a conta de quantas vezes, comi doces até passar mal e vomitando no banheiro, eu jurava que nunca mais iria fazer a mesma coisa, mas no dia seguinte, estava novamente comendo até não aguentar mais.

Sei que não é fácil, mas quando se pegar comendo em excesso, crie o hábito de se questionar. Parar e pensar: O que eu estou tentando compensar e preencher com a comida? Será que eu não estou me restringindo demais?

Eu sabia de algumas experiências que tinha vivido e não queria trabalhar, mas de forma inconsciente, achava que a comida ia resolver os meus problemas. Porque a comida, traz a sensação de um prazer imediato. Mas depois vem a culpa, sensação de fracasso, seus problemas ainda permanecem e você continua tentando preencher um buraco sem fundo com comida. Não funciona. O tempo vai passar, mas enquanto você não enfrentar os seus monstros internos, você não vai conseguir sair dessa prisão e se libertar.

É claro que eu sabia que fazer terapia não é agradável. Que não é coisa de gente fraca, e sim de pessoa corajosas. E quando decidi buscar a origem dessa tristeza, angústia, desse vazio, isso me fez parar de usar a comida como válvula de escape. Entendi que não nascemos com compulsão alimentar, que aprendemos a agir dessa maneira de acordo com as nossas experiências e percepções.

Além do autoconhecimento, e de nós libertar desse descontrole emocional, a terapia nos mostra novas interpretações, nos ajuda a enxergar uma situação que antes era um gatilho para compulsão com uma nova ótica, com um novo aprendizado. Aquela cicatriz que sangrava, nos torna mais forte. E nos faz perceber que somos mais fortes do que imaginávamos.

Antes via o chocolate como vilão, que me faria engordar 2kgs só de olhar para ele. Mas o alimento não é o problema, o alimento é solução, o alimento é algo natural, comer um pedacinho de chocolate não engorda. É possível comer com prazer e sem culpa. É possível sentir prazer comendo uma salada e alimentos mais naturais. Comer é algo natural e saudável e a fome não é a nossa inimiga.


Quando eu fazia uma promessa para parar de comer doces, antes de iniciar a restrição, eu fazia uma "despedida" e comia de forma exagerada, pois não sabia quando iria comer novamente. Ao fazer as pazes com o chocolate, entendi que posso me permitir comer com prazer e consciência. E que me permitindo comer amanhã, não preciso comer de forma exorbitante.

É possível olhar a fome com mais naturalidade. Quando seu filho falar que está com fome ao invés de falar: “Caramba moleque, você é um saco sem fundo”. Diga: “Que bom que está com fome filho, é sinal que está com saúde”.

E a melhor forma de ensinar seu filho a ter uma relação saudável com a alimentação é você tendo uma relação saudável com a alimentação.

Resumidamente, isso foi o que funcionou para mim.


A principal coisa que você precisa saber para tratar emagrecer é que não existe a solução mágica (resultado sem esforço). E que você precisa assumir a autorresponsabilidade.


Autorresponsabilidade é a capacidade de trazer pra si toda responsabilidade por tudo que acontece em sua vida.


Ou seja, por mais competente que o personal trainer seja e me oriente, eu que irei precisar fazer o exercício. Eu preciso fazer a minha parte e não esperar resultados sem esforços.


Durante esse caminho, você também vai precisar de disciplina, paciência e consistência.


Eu sei que não é fácil emagrecer, eu sei que não é fácil pedir ajuda, eu sei que você quer acreditar que é possível, mas com tantos fracassos perdeu as esperanças, eu sei que não é fácil fazer terapia e lidar com feridas que machucam, eu sei que não é fácil se olhar no espelho e não gostar do que se vê, mas se decidir tornar a sua saúde prioridade, ter um porquê claro, dar chance aos pequenos hábitos, parar de querer resultados imediatos, tenho certeza absoluta que você irá obter o resultado que deseja.


Não é fácil, mas é completamente possível. Se eu consigo, tenho certeza de que você consegue. Sei que fomos criados a não pedir ajuda, mas procure profissionais competentes. E se algum profissional te falar que será fácil e rápido, caia fora.


E claro, conte comigo nessa jornada.


E o áudio de auto hipnose está disponível no meu grupo de telegram. Clique aqui para entrar: https://t.me/thais_shimabukuro


E você? Já passou por alguma situação parecida? Como superou? Conte aqui nos comentários.


Se esse post te inspirou de alguma forma, compartilhe com os seus amigos.

7 visualizações